Redes Sociais

Um centenário de vida

14 Outubro 2011 18:40:00

Uma festa centenária reuniu nesta última semana, familiares e amigos de Maria Lídia Carvalho, dona Maricota, que nasceu em 04 de outubro de 1911, na antiga Rua do Fogo, atual município de Sangão.

Dona Maricota e familiares
Foto: Dona Maricota e familiares

A festa contou com a presença de filhos, netos, bisnetos e tataranetos, cinco gerações numa festa inédita no município. Dona Maricota resumiu tudo em poucas palavras. “Estou muito feliz e agradeço a Deus”.

Biografia de Maria Lídia Cardoso (dona Maricota)

Maria Lídia Cardoso nasceu em 04/04/1911 na Rua do Fogo, atual município de Sangão.

Em uma missa de Terno de Reis, conheceu Alfredo José Ricardo, nascido em 26/01/1909, mas começaram a namorar somente em uma festa de Santo Antônio. Após dois anos de namoro, em 1932, se casaram. Os noivos se deslocaram até o cartório no Morro da Fumaça, acompanhados de umas 20 pessoas, todos montados a cavalo, posteriormente para a igreja.

Em janeiro de 1933 foram morar em Sombrio, onde nasceram os primeiros filhos: Antônio em 13/06/1934 e Iolita em 28/09/1935. Depois se mudaram para o Balneário Esplanada, onde nasceram duas meninas que vieram a falecer ainda crianças. Logo em seguida, em 16/02/1939 nasceu José. Novamente se mudaram para Criciúma e, em 13/01/1941 nasceu Olisses. Novamente mudaram-se para Rua do Fogo, onde foram morar em um engenho de farinha dos tios Aledúcio e Geraldina, ali nasceram em 26/04/1942, Oni; em 05/06/1944 Aidê e em 13/05/1945 Idene. Nesta passagem pelo terreno do tio Aledúcio eles plantavam feijão, milho, cana para fabricar açúcar e mandioca para fazer farinha. Nas horas vagas, a Maricota, como é conhecida, tecia fio de algodão para a confecção de roupas para os filhos. Novamente mudaram-se para Boa Vista (esplanada), ali nasceram em 25/06/1948 Dilma, em 23/12/1949 Lídia, em 01/04/1951 Evando, em 09/07/1953 Vilma e em 31/10/1954 Geraldino. Nesta época, o pai realizava bailes em sua própria casa e a mãe fazia doces e salgados para os meninos venderem nos trens.

Em novembro de 1954 novamente se deslocaram em um caminhão coberto por uma lona, com 19 pessoas, para o Rio Grande do Sul. Saíram de Santa Catarina às 24h e chegaram ao seu destino, Cachoeirinha, às 16h. Depois foram para Sarandi e, posteriormente, para Porto Alegre, bairro Tristeza.

Em 07/09/1963 retornaram para Santa Catarina, com destino a Morro Grande, lugar sagrado para dona Maricota.

Redação Folha Regional/ Sangão

 

 

Imagens


















marcelo-site-ok.png
web-tv-ok-para-o-site.png

Rua Apóstolo João Evangelista, 211 – Loteamento Parque dos Pássaros – Riachinho- Jaguaruna – SC – CEP 88715-000 – (48) 3624-1489